Usar descrições criativas e indulgentes aumenta o consumo de comida?


Por Fernanda Timerman, nutricionista

De acordo com um estudo recente publicado publicado no JAMA (Journal of American Medical Association), em resposta ao aumento da obesidade, muitos estabelecimentos ressaltam as propriedades e benefícios de alimentos nutritivos para encorajar as pessoas a escolherem opções mais saudáveis. Ironicamente, a descrição dos alimentos com foco na saúde pode ser contra-efetiva, pois as pessoas avaliam alimentos saudáveis como sendo menos saborosos. Rotulagem e descrição saudáveis são associadas a maiores níveis de hormônio da fome após consumo de uma refeição em comparação com quando a mesma é descrita de forma indulgente. Esse estudo testou usar 4 diferentes termos para apresentar vegetais feitos e servidos exatamente da mesma forma: básico (ex: batata doce); restritivamente saudável (batata doce sem colesterol); positivamente saudável (batata doce supersaudável); e indulgente (batata doce com zest de açafrão e gengibre). Os vegetais descritos de forma indulgente, criativa e saborosa tiveram um consumo significativamente maior do que os descritos de forma básica ou saudável.


Isso pode ser uma boa reflexão para diminuirmos a descrição nutricional "sem-isso-sem-aquilo-rico em-fonte de" e usar mais delicioso, saboroso ou até arriscar um raio gourmetizador para inserir alimentos pouco consumidos como frutas, legumes e verduras de maneira mais efetiva!


Referência: Turnwald BP; Boles DZ, Crum AJ. Association between indulgent descriptions and vegetable consumption: Twisted carrots and dynamite beets. JAMA Intern Med. Published online June 12, 2017. Veja aqui

Autor Fernanda Timerman

Acompanhe todas as novidades do Genta e ainda ganhe gratuítamente dicas de saúde semanalmente por e-mail

Assinar agora

2017 ® Genta - Grupo Especializado em Nutrição e Transtornos Alimentares